RESFRIAMENTO DE REATORES - TANQUES DE PROCESSO


MAXIBRASIL.jpg

Nas indústrias farmacêutica, química e de cosméticos o resfriamento de reator é uma etapa que alguns técnicos não dão a devida atenção e com um projeto adequado do sistema de refrigeração, podemos obter várias vantagens, tais como:

  • Aumento da produção através do menor tempo de resfriamento;
  • Melhoria da qualidade do produto pela menor exposição à alta temperatura;
  • Menor incorporação de ar ou gás inerte por menor tempo de agitação durante o resfriamento.

No projeto adequado do sistema de refrigeração temos que considerar:

  • Propriedades do produto a resfriar (Viscosidade, Densidade, Condutividade Térmica e Calor Específico);
  • Caraterísticas do reator (RPM do agitador, tipo (Âncora, Turbina, Hélice, etc.), tipo de camisa, dimensões, etc.);
  • Temperaturas de início e final de processo;

Com estas informações podemos calcular a capacidade de troca térmica do reator e definir a vazão e a temperatura do fluido de resfriamento (Normalmente água gelada) para atingirmos o tempo de resfriamento desejado.

Um ponto muito importante é o uso do tanque pulmão dimensionado para o perfil da carga térmica do reator, além de amortecer os picos de carga, permite também acumular "frio" entre as bateladas, reduzir o consumo de energia e manter o chiller operando sempre na faixa de maior rendimento.